SÃO BERNARDO, ABADE E DOUTOR DA IGREJA

 

Memória

 

Nasceu no ano 1090 perto de Dijon (França) e recebeu uma piedosa educação. Admitido, no ano 1111, entre os Monges Cistercienses, foi eleito, pouco tempo depois, abade do mosteiro de Claraval. Com a sua atividade e exemplo exerceu uma notável influência na formação espiritual dos seus irmãos religiosos. Por causa dos cismas que ameaçavam a Igreja, percorreu a Europa para restabelecer a paz e a unidade. Escreveu muitas obras de teologia e ascética. Morreu em 1153.

____________________________________________________________________________

 

Invitatório

___________________________________________________

Ofício das Leituras


introdução
ouvir:

V. Vinde, ó Deus em meu auxílio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

 

Hino

Cristo Pastor, modelo dos pastores,

comemorando a festa deste Santo,

a multidão fiel e jubilosa,

vosso louvor celebra neste canto.

 

Do seu rebanho foi pastor e exemplo,

ao pobre alívio e para os cegos luz,

pai carinhoso, tudo para todos,

seguindo em tudo o Bom Pastor Jesus.

 

Cristo, que aos santos dais nos céus o prêmio,

com vossa glória os coroando assim,

dai-nos seguir os passos deste mestre

e ter um dia um semelhante fim.

 

Justo louvor ao Sumo Pai cantemos,

e a vós, Jesus, Eterno Rei, também.

Honra e poder ao vosso Santo Espírito

no mundo inteiro, agora e sempre. Amém.

Salmodia

 

Ant. 1 Quem quiser ser o primeiro,
seja o servo, seja o último.

 

Salmo 20(21),2-8.14

 

2 Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra; *

quanto exulta de alegria em vosso auxílio!

3 O que sonhou seu coração, lhe concedestes; *

não recusastes os pedidos de seus lábios.

 

–4 Com bênção generosa o preparastes; *

de ouro puro coroastes sua fronte.

5 A vida ele pediu e vós lhe destes, *

longos dias, vida longa pelos séculos.

 

6 É grande a sua glória em vosso auxílio; *

de esplendor e majestade o revestistes.

7 Transformastes o seu nome numa bênção, *

e o cobristes de alegria em vossa face. 

 

8 Por isso o rei confia no Senhor, *

e por seu amor fiel não cairá,

14 Levantai-vos com poder, ó Senhor Deus, *

e cantaremos celebrando a vossa força!

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Quem quiser ser o primeiro,
seja o servo, seja o último.

 

Ant. 2 Quando vier o supremo Pastor de nossas almas,
recebereis a coroa de glória imperecível.

 

Salmo 91(92)

 

I
ouvir:

2 Como é bom agradecermos ao Senhor *

e cantar salmos de louvor ao Deus Altíssimo!

3 Anunciar pela manhã vossa bondade, *

e o vosso amor fiel, a noite inteira,

4 ao som da lira de dez cordas e da harpa, *

com canto acompanhado ao som da cítara.

 

5 Pois me alegrastes, ó Senhor, com vossos feitos, *

e rejubilo de alegria em vossas obras.

6 Quão imensas, ó Senhor, são vossas obras, *

quão profundos são os vossos pensamentos!

 

7 Só o homem insensato não entende, *

só o estulto não percebe nada disso!

8 Mesmo que os ímpios floresçam como a erva, *

ou prosperem igualmente os malfeitores,

– são destinados a perder-se para sempre. *

9 Vós, porém, sois o Excelso eternamente!

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Quando vier o supremo Pastor de nossas almas,
recebereis a coroa de glória imperecível.

 

Ant. 3 Servo bom e fiel,
vem entrar na alegria de Jesus, teu Senhor.

 

II
ouvir:

=10 Eis que os vossos inimigos, ó Senhor, †

eis que os vossos inimigos vão perder-se, *

e os malfeitores serão todos dispersados.

 

11 Vós me destes toda a força de um touro, *

e sobre mim um óleo puro derramastes;

12 triunfante, posso olhar meus inimigos, *

vitorioso, escuto a voz de seus gemidos.

 

13 O justo crescerá como a palmeira, *

florirá igual ao cedro que há no Líbano;

14 na casa do Senhor estão plantados, *

nos átrios de meu Deus florescerão.

 

15 Mesmo no tempo da velhice darão frutos, *

cheios de seiva e de folhas verdejantes;

16 e dirão: “É justo mesmo o Senhor Deus: *

meu Rochedo, não existe nele o mal!”

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Servo bom e fiel,
vem entrar na alegria de Jesus, teu Senhor.

 

V. Ouvirás uma palavra de meus lábios.

R. E haverás de transmitir-lhes em meu nome.

 

Primeira leitura

Do Livro do Eclesiástico                 39,1b-14

 

O sábio, versado nas Escrituras

1bO sábio busca a sabedoria de todos os antigos

e dedica o seu tempo às profecias.

2Conserva as narrações dos homens célebres,

penetra na sutileza das parábolas.

3Investiga o sentido oculto dos provérbios,

deleita-se com os segredos das parábolas.

4Presta serviços no meio dos grandes

e apresenta-se diante dos que governam.

5Percorre as terras dos povos estrangeiros,

experimentando o que é bom e mal entre os homens.

6Empenha bem cedo o coração,

a dirigir-se ao Senhor que o criou,

elevando suas orações ao Altíssimo.

7Abre a sua boca para rezar

e pede perdão pelos próprios pecados.

8E se o Senhor, em sua grandeza, quiser,

ele será repleto do espírito de inteligência.

9Fará chover as palavras da sua sabedoria,

e em sua oração dará graças ao Senhor.

10Conservará retos o seu conselho e a sua ciência,

e aprofundará os segredos divinos.

11Ensinará publicamente a instrução recebida

e se gloriará na Lei da Aliança do Senhor.

12Muitos louvarão a sua sabedoria,

a qual jamais será esquecida.

13Sua lembrança nunca se apagará,

e seu nome vai ser recordado de geração em geração.

14As nações hão de proclamar a sua sabedoria

e a assembléia celebrará o seu louvor.

 

Responsório Cf. Eclo 15,5-6

 

R. No meio da assembleia falou palavras sábias.

* Deus o encheu com seu Espírito de saber e inteligência.

V. Guardou tesouros para ele de alegria e de júbilo.

* Deus o encheu.

 

Segunda leitura

Dos Sermões sobre o Cântico dos Cânticos, de São Bernardo, abade

(Sermo 83,4-6: Opera omnia, Edit. Cisterc. 2[1958], 300-302)                Séc.XII

 

Amo porque amo, amo para amar

O amor basta-se a si mesmo, em si e por sua causa encontra satisfação. É seu mérito, seu próprio prêmio. Além de si mesmo, o amor não exige motivo nem fruto. Seu fruto é o próprio ato de amar. Amo porque amo, amo para amar. Grande coisa é o amor, contanto que vá a seu princípio, volte à sua origem, mergulhe em sua fonte, sempre beba donde corre sem cessar. De todos os movimentos da alma, sentidos e afeições, o amor é o único com que pode a criatura, embora não condignamente, responder ao Criador e, por sua vez, dar-lhe outro tanto. Pois quando Deus ama não quer outra coisa senão ser amado, já que ama para ser amado; porque bem sabe que serão felizes pelo amor aqueles que o amarem.  

O amor do Esposo, ou melhor, o Esposo-Amor somente procura a resposta do amor e a fidelidade. Seja permitido à amada corresponder ao amor! Por que a esposa e esposa do Amor não deveria amar? Por que não seria amado o Amor?  

É justo que, renunciando a todos os outros sentimentos, única e totalmente se entregue ao amor, aquela que há de corresponder a ele, pagando amor com amor. Pois mesmo que se esgote toda no amor, que é isto diante da perene corrente do amor do outro? Certamente não corre com igual abundância o caudal do amante e do Amor, da alma e do Verbo, da esposa e do Esposo, do Criador e da criatura; há entre eles a mesma diferença que entre o sedento e a fonte.  

E então? Desaparecerá por isto e se esvaziará de todo a promessa da desposada, o desejo que suspira, o ardor da que a ama, a confiança da que ousa, já que não pode de igual para igual correr com o gigante, rivalizar a doçura com o mel, a brandura com o cordeiro, a alvura com o lírio, a claridade com o sol, a caridade com aquele que é a caridade?Não. Mesmo amando menos, por ser menor, se a criatura amar com tudo o que é, haverá de dar tudo. Por esta razão, amar assim é unir-se em matrimônio, porque não pode amar deste modo e ser menos amada, de sorte que no consenso dos dois haja íntegro e perfeito casamento. A não ser que alguém duvide ser amado primeiro e muito mais pelo Verbo.

 

Responsório Sl 30(31),20; 35(36),9

 

R. Como é grande, ó Senhor, vossa bondade,

* Que reservastes para aqueles que vos temem!

V. Na abundância de vossa morada

ele vem saciar-se de bens.

Vós lhes dais de beber água viva

nas torrentes de vossas delícias. * Que reservastes.

 

Oração

Ó Deus, que fizestes do abade São Bernardo, inflamado de zelo por vossa casa, uma luz que brilha e ilumina a Igreja, dai-nos, por sua intercessão, o mesmo fervor para caminharmos sempre como filhos da luz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

 

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.