__________________________________________________________

 

Invitatório
________________________________
 

Ofício das Leituras

introdução

V.
Vinde, ó Deus em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.
 

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Da luz do Pai nascido,

vós mesmo luz e aurora,

ouvi os que suplicam,

cantando noite afora.

 

Varrei as nossas trevas

e as hostes do inimigo:

o sono, em seus assaltos,

não ache em nós abrigo.

 

Ó Cristo, perdoai-nos,

pois Deus vos proclamamos.

Propício seja o canto

que agora iniciamos.

 

A glória seja ao Pai,

ao Filho seu também,

ao Espírito igualmente,

agora e sempre. Amém.

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Ó Trindade Sacrossanta,

ordenais o que fizestes.

Ao trabalho dais o dia,

ao descanso a noite destes.

 

De manhã, à tarde e à noite,

vossa glória celebramos.

Nesta glória conservai-nos

todo o tempo que vivamos.

 

Ante vós ajoelhamos

em humilde adoração.

 Reuni as nossas preces

à celeste louvação.

 

Escutai-nos, Pai piedoso,

e vós, Filho de Deus Pai,

com o Espírito Paráclito,

pelos séculos reinais.

Salmodia

 

Ant. 1 Eis que Deus se põe de pé,

e os inimigos se dispersam!

 

Salmo 67(68)

 

Entrada triunfal do Senhor

Tendo subido às alturas, ele capturou prisioneiros e distribuiu dons aos homens (Ef 4,8).

 

I

2 Eis que Deus se põe de pé, e os inimigos se dispersam!*

Fogem longe de sua face os que odeiam o Senhor!

=3 Como a fumaça se dissipa, assim também os dissipais, †

como a cera se derrete, ao contato com o fogo, *

assim pereçam os iníquos ante a face do Senhor!

 

4 Mas os justos se alegram na presença do Senhor *

rejubilam satisfeitos e exultam de alegria!

=5 Cantai a Deus, a Deus louvai, cantai um salmo a seu nome! †

Abri caminho para Aquele que avança no deserto; *

o seu nome é Senhor: exultai diante dele!

 

6 Dos órfãos ele é pai, e das viúvas protetor; *

é assim o nosso Deus em sua santa habitação.

=7 É o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados, †

quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura, *

mas abandona os rebeldes num deserto sempre estéril!

 

8 Quando saístes com o povo, caminhando à sua frente *

e atravessando o deserto, a terra toda estremeceu;

9 orvalhou o próprio céu ante a face do Senhor, *

e o Sinai também tremeu perante o Deus de Israel.

 

10 Derramastes lá do alto uma chuva generosa, *

e vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes;

11 e ali vosso rebanho encontrou sua morada; *

com carinho preparastes essa terra para o pobre.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Eis que Deus se põe de pé,

e os inimigos se dispersam!

 

Ant. 2 Nosso Deus é um Deus que salva,

só o Senhor livra da morte.

 

II

 –12 O Senhor anunciou a boa-nova a seus eleitos, *

e uma grande multidão de nossas jovens a proclama:

13 “Muitos reis e seus exércitos fogem um após o outro, *

e a mais bela das mulheres distribui os seus despojos.

 

=14 Enquanto descansais entre a cerca dos apriscos, †

as asas de uma pomba como prata resplandecem, *

e suas penas têm o brilho de um ouro esverdeado.

15 O Senhor onipotente dispersou os poderosos, *

dissipou-os como a neve que se espalha no Salmon!”

 

16 Montanhas de Basã tão escarpadas e altaneiras *

ó montes elevados desta serra de Basã,

=17 por que tendes tanta inveja, ó montanhas sobranceiras,†

deste Monte que o Senhor escolheu para morar? *

Sim, é nele que o Senhor habitará eternamente!

 

18 Os carros do Senhor contam milhares de milhares; *

do Sinai veio o Senhor, para morar no santuário.

=19 Vós subistes para o alto e levastes os cativos, †

os homens prisioneiros recebestes de presente, *

até mesmo os que não querem vão morar em vossa casa.

 

20 Bendito seja Deus, bendito seja cada dia, *

o Deus da nossa salvação, que carrega os nossos fardos!

21 Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador;*

o Senhor, só o Senhor, nos poderá livrar da morte!

22 Ele esmaga a cabeça dos que são seus inimigos, *

e os crânios contumazes dos que vivem no pecado.

 

23 Diz o Senhor: “Eu vou trazê-los prisioneiros de Basã, *

até do fundo dos abismos vou trazê-los prisioneiros!

24 No sangue do inimigo o teu pé vai mergulhar, *

e a língua de teus cães terá também a sua parte”.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Nosso Deus é um Deus que salva,

só o Senhor livra da morte.

 

Ant. 3 Reinos da terra, celebrai

o nosso Deus, cantai-lhe salmos!

 

III

 –25 Contemplamos, ó Senhor, vosso cortejo que desfila, *

é a entrada do meu Deus, do meu Rei, no santuário;

 –26 os cantores vão à frente, vão atrás os tocadores, *

e no meio vão as jovens a tocar seus tamborins.

 

27 “Bendizei o nosso Deus, em festivas assembléias! *

Bendizei nosso Senhor, descendentes de Israel!”

=28 Eis o jovem Benjamim que vai à frente deles todos; †

eis os chefes de Judá com as suas comitivas, *

os principais de Zabulon e os principais de Neftali. 

 

29 Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder, *

confirmai este poder que por nós manifestastes,

 –30 a partir de vosso templo, que está em Jerusalém, *

para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes!

 

=31 Ameaçai, ó nosso Deus, a fera brava dos caniços, †

a manada de novilhos e os touros das nações! *

Que vos rendam homenagem e vos tragam ouro e prata!

= Dispersai todos os povos que na guerra se comprazem!†

32 Venham príncipes do Egito, venham dele os poderosos,*

e levante a Etiópia suas mãos para o Senhor!

 

=33 Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos! †

 34 Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos. *

Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa.

 

35 Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens. *

Sobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade!

36 Em seu templo ele é admirável e a seu povo dá poder. *

Bendito seja o Senhor Deus, agora e sempre. Amém, amém!

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Reinos da terra, celebrai

o nosso Deus, cantai-lhe salmos!

 

V. Quero ouvir o que o Senhor irá falar.

R. É a paz que ele vai anunciar.

 

Primeira leitura

Leitura do Profeta Miquéias             3,1-12

 

Por causa dos pecados dos príncipes,

Jerusalém será destruída

 

1 “Ouvi, príncipes de Jacó

e chefes da casa de Israel:

Acaso não cabe a vós conhecer o juízo de Deus?”

2 Mas vós tendes ódio ao bem e amais o mal.

Arrancais com violência a pele do povo

e a carne de sobre os seus ossos.

3 Os que comem a carne do meu povo

e lhe arrancam o couro;

os que lhe quebram os ossos

e o cortam como carne para o assado

ou para cozer na panela,

4 um dia hão de invocar o Senhor,

mas ele não os atenderá;

esconderá a sua face naquele tempo,

por causa do mal que praticaram.

5 Assim fala o Senhor contra os profetas

que seduzem o meu povo:

esses, quando têm o que pegar com os dentes,

dizem palavras de paz;

mas, se não lhes dão nada para a boca,

passam a agredir as pessoas.

6 Por isso, não tereis visões de noite

e o escuro não vos trará adivinhações;

para esses profetas virá o pôr-do-sol,

para eles o dia escurecerá.

7 Os videntes se confundirão,

e se confundirão os adivinhos,

todos eles fecharão a boca,

porque não há resposta de Deus.

8 Eu, em verdade, sinto em mim

a força do espírito do Senhor,

sua justiça e poder,

para denunciar a Jacó os seus crimes

e a Israel o seu pecado.

9 Ouvi isto, chefes da casa de Jacó

e juízes da casa de Israel,

vós que abominais a justiça

e distorceis tudo que é reto,

10 que edificais Sião com sangue

e Jerusalém com iniquidade.

11 Autoridades administram por propinas,

sacerdotes ensinam por salário,

profetas vaticinam por dinheiro;

e ousam apoiar-se no Senhor, dizendo:

“Acaso não está o Senhor no meio de nós?

Nenhuma desgraça cairá sobre nós”.

12 Por isso, por causa de vós,

Sião deverá ser arada como um campo,

Jerusalém será como um montão de pedras,

e as árvores da floresta cobrirão a colina do templo.

 

Responsório Sl 78(79),1; Dn 3,42.29a

 

R. Invadiram vossa herança os infiéis,

profanaram, ó Senhor, o vosso templo,

Jerusalém foi reduzida a ruínas.

* Não nos deixeis envergonhados, Senhor Deus,

conforme vosso imenso amor agi conosco.

V. Sim, pecamos, afastando-nos de vós. * Não nos deixeis.

 

Segunda leitura

Das Cartas de São Maximiliano Maria Kolbe

(O. Joachim Roman Bar, O.F.M. Conv., ed. Wybór Pism, Warszawa 1973, 41-42;226)             (Séc.XX)

 

Do zelo apostólico que se deve ter ao procurar a salvação e santificação das almas

Muito me alegra, caro irmão, o zelo que te inflama na promoção da glória de Deus. Pois observamos com tristeza, em nossos tempos, não só entre os leigos mas também entre os religiosos, a doença quase epidêmica que se chama indiferentismo, que se propaga de várias formas. Ora, como Deus é digno de infinita glória, nosso primeiro e mais importante ideal deve ser, com nossas exíguas forças, lhe darmos o máximo de glória, embora nunca possamos dar  quanto de nós, pobres peregrinos, ele merece. 

Como a glória de Deus resplandece principalmente na salvação das almas que Cristo remiu com seu próprio sangue, o desejo mais elevado da vida apostólica será procurar a salvação e santificação do maior número possível. E quero brevemente dizer-te qual o melhor caminho para este fim, isto é, para conseguir a glória divina e a santificação de muitas almas. Deus, ciência e sabedoria infinita, sabendo o que, de nossa parte, mais contribui para aumentar sua glória, manifesta-nos a sua vontade sobretudo pelos seus ministros na terra.  

É a obediência, e ela só, que nos indica a vontade de Deus com evidência. O superior pode errar, mas não é possível que nós, ao seguirmos a obediência, sejamos levados ao erro. Só poderia haver uma exceção se o superior mandasse algo que incluísse – mesmo em grau mínimo – uma violação da lei divina; pois, neste caso, o superior não seria fiel intérprete de Deus. 

Só Deus é infinito, sapientíssimo, santíssimo e clementíssimo, Senhor, Criador e Pai nosso, princípio e fim, sabedoria, poder e amor; tudo isso é Deus. Tudo que não seja Deus só vale enquanto se refere a ele, Criador de tudo e Redentor dos homens, último fim de toda a criação. É ele que nos manifesta a sua adorável vontade por meio daqueles que o representam, e nos atrai a si, querendo, deste modo, atrair por nós outras almas, unindo-as a si em amor cada vez mais perfeito. 

Vê, irmão, quão grande é, pela misericórdia divina, a dignidade de nossa condição! Pela obediência com que ultrapassamos os limites de nossa pequenez e conformamo-nos à vontade divina, que nos dirige com sua infinita sabedoria e prudência, a fim de agirmos com retidão. Pode-se até dizer que, seguindo assim a vontade de Deus à qual nenhuma criatura pode resistir, nos tornamos mais fortes que tudo. 

Esta é a vereda da sabedoria e da prudência, este é o único caminho pelo qual possamos dar a Deus maior glória. Pois, se existisse caminho diferente e mais alto, certamente Cristo no-lo teria manifestado com sua doutrina e exemplo. Ora, a divina Escritura resumiu a sua longa permanência em Nazaré com estas palavras: E era-lhes submisso (Lc 2,51), como nos indicou toda a sua vida ulterior sob o signo da obediência, mostrando que desceu à terra para fazer a vontade do Pai.  

Amemos por isso, irmão, amemos sumamente o amantíssimo Pai celeste, e deste amor seja prova a nossa obediência, exercida em grau supremo quando nos exige o sacrifício da própria vontade. Não conhecemos, para progredir no amor a Deus, livro mais sublime que Jesus Cristo crucificado. 

Tudo isso conseguiremos mais facilmente pela Virgem Imaculada, a quem a bondade de Deus confiou os tesouros da sua misericórdia. Pois não há dúvida que a vontade de Maria seja para nós a própria vontade de Deus. E, quando nos dedicamos a ela, tornamo-nos em suas mãos como instrumentos, como ela própria, nas mãos de Deus. Portanto, deixemo-nos dirigir por ela, ser conduzidos por ela, e sejamos calmos e seguros por ela guiados: pois cuidará de nós, tudo proverá e há de socorrer-nos prontamente nas necessidades do corpo e da alma, afastando nossas dificuldades e angústias.

 

Responsório Ef 5,1-2; 6,6b

 

R. Tornai-vos, irmãos, imitadores de Deus

como filhos amados, e andai em amor,

como Cristo nos amou e se entregou por nós a Deus,

* Como oferta e sacrifício de perfume agradável,

V. Como servos de Cristo,

de bom grado fazendo a vontade de Deus.

* Como oferta.

 

Oração

Ó Deus, inflamastes São Maximiliano Maria, presbítero e mártir, com amor à Virgem Imaculada e lhe destes grande zelo pastoral e dedicação ao próximo. Concedei-nos, por sua intercessão, que trabalhemos intensamente pela vossa glória no serviço do próximo, para que nos tornemos semelhantes ao vosso Filho até a morte. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.