ORDINÁRIO DA LITURGIA DAS HORAS

Voltar  

 

Invitatório

 

O Invitatório tem seu lugar no início da oração cotidiana, ou seja, antepõe-se ao Ofício das Leituras, ou às

Laudes, conforme se comece o dia por uma ou por outra ação litúrgica.

 

V. Abri os meus lábios, ó Senhor.

R. E minha boca anunciará vosso louvor.

 

Em seguida diz-se o Salmo 94(95) com sua antífona, em forma responsorial. Anuncia-se a antífona e

imediatamente repete-se a mesma. Depois de cada estrofe, repete-se de novo.

 

Na recitação individual não é necessário repetir a antífona;basta dizê-la no começo e no fim do salmo.

 

Salmo 94(95)

 

Convite ao louvor de Deus

Animai-vos uns aos outros, dia após dia, enquanto ainda se disser ‘hoje’ (Hb 3,13).

 

Um solista canta ou reza a antífona, e a assembléia a repete.

 

1Vinde, exultemos de alegria no Senhor, *

aclamemos o Rochedo que nos salva!

2 Ao seu encontro caminhemos com louvores, *

e com cantos de alegria o celebremos!

Repete-se a antífona.

 

3 Na verdade, o Senhor é o grande Deus, *

o grande Rei, muito maior que os deuses todos.

4 Tem nas mãos as profundezas dos abismos, *

e as alturas das montanhas lhe pertencem;

5 o mar é dele, pois foi ele quem o fez, *

e a terra firme suas mãos a modelaram.

Repete-se a antífona.

 

6 Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, *

e ajoelhemos ante o Deus que nos criou!

=7 Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, †

e nós somos o seu povo e seu rebanho, *

as ovelhas que conduz com sua mão.

Repete-se a antífona.

 

=8 Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: †

“Não fecheis os corações como em Meriba, *

9 como em Massa, no deserto, aquele dia,

– em que outrora vossos pais me provocaram, *

apesar de terem visto as minhas obras”.

Repete-se a antífona.

 

=10Quarenta anos desgostou-me aquela raça †

e eu disse: “Eis um povo transviado, *

11seu coração não conheceu os meus caminhos!”

– E por isso lhes jurei na minha ira: *

“Não entrarão no meu repouso prometido!”

Repete-se a antífona.

 

(Rezado):

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

(Cantado):

Demos glória a Deus Pai onipotente

e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †

e ao Espírito que habita em nosso peito *

pelos séculos dos séculos. Amém.

 

(R.)

encontro caminhemos com louvores, *

e comcantos de alegria o celebremos!

Repete-se a antífona.

 

O salmo 94(95) pode ser substituído pelo salmo (99)100, p. 587, salmo 66(67), p. 586, ou salmo 23(24),

abaixo. Se um destes salmos ocorre no Ofício, em seu lugar diz-se o salmo 94(95).

 

Quando o Invitatório é recitado antes das Laudes, pode ser omitido o salmo com sua antífona, conforme

as circunstâncias.

 

Salmo 23(24)

 

Entrada do Senhor no templo

Na ascensão, as portas do céu se abriram para o Cristo (Sto. Irineu).

 

1 Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, *

o mundo inteiro com os seres que o povoam;

2 porque ele a tornou firme sobre os mares, *

e sobre as águas a mantém inabalável. 

R.

3 “Quem subirá até o monte do Senhor, *

quem ficará em sua santa habitação?”

=4 “Quem tem mãos puras e inocente coração, †

quem não dirige sua mente para o crime, *

nem jura falso para o dano de seu próximo.

R.

5 Sobre este desce a bênção do Senhor *

e a recompensa de seu Deus e Salvador”.

6 “É assim a geração dos que o procuram, *

e do Deus de Israel buscam a face”.

R.

=7 “Ó portas, levantai vossos frontões! †

Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *

a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

R.

=8 Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †

“É o Senhor, o valoroso, o onipotente, *

o Senhor, o poderoso nas batalhas!”

R.

=9 “Ó portas, levantai vossos frontões! †

Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *

a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

R.

=10 Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †

“O Rei da glória é o Senhor onipotente, *

o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!”

R.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

R.

 

Salmo 66(67)

 

Todos os povos celebrem o Senhor

Sabei, pois, que esta salvação de Deus já foi comunicada aos pagãos! (At 28,28).

 

2 Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, *

e sua face resplandeça sobre nós!

3 Que na terra se conheça o seu caminho *

e a sua salvação por entre os povos.

R.

4 Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, *

que todas as nações vos glorifiquem!

R.

5 Exulte de alegria a terra inteira, *

pois julgais o universo com justiça;

– os povos governais com retidão, *

e guiais, em toda a terra, as nações.

R.

6 Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, *

que todas as nações vos glorifiquem!

R.

7 A terra produziu sua colheita: *

o Senhor e nosso Deus nos abençoa.

8 Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, *

e o respeitem os confins de toda terra!

R.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

R.

 

Salmo 99(100)

 

Alegria dos que entram no templo

O Senhor ordena aos que foram salvos que cantem o hino de vitória (Sto. Atanásio).

 

=2 Aclamai o Senhor, ó terra inteira, †

servi ao Senhor com alegria, *

ide a ele cantando jubilosos!

R.

=3 Sabei que o Senhor, só ele, é Deus †

Ele mesmo nos fez, e somos seus, *

nós somos seu povo e seu rebanho.

R.

=4 Entrai por suas portas dando graças, †

e em seus átrios com hinos de louvor, *

dai-lhe graças, seu nome bendizei!

R.

=5 Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, †

sua bondade perdura para sempre, *

seu amor é fiel eternamente!

R.

– Glória ao Pai e ao Filho, e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

R.

 

Ofício das Leituras

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Socorrei-me sem demora.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém. (T.P. Aleluia.).

 

Quando o Invitatório precede imediatamente, omite-se a introdução acima.

 

HINO

 

Em seguida, diz-se o hino correspondente ao Ofício do dia.

  

Pode-se escolher também outro hino aprovado pela Conferência episcopal, que corresponda ao Ofício do

dia e do Tempo (Veja Apêndice de hinos).

 

SALMODIA

 

Terminado o hino, segue-se a salmodia, que consta de três salmos ou partes de salmos,que se dizem com

As antífonas correspondentes.

 

VERSÍCULO

 

Antes das leituras diz-se o versículo, que faz a transição da salmodia para a escuta da Palavra de Deus.

 

LEITURAS

 

Há duas leituras. A primeira é bíblica com seu responsório, conforme requer o Ofício do dia, e toma-se do

Próprio do Tempo, exceto nas solenidades e festas, quando  se toma do Próprio ou do Comum.

 

Nas celebrações dos Santos, a segunda leitura é hagiográfica nas solenidades, festas e memórias. Nos

demais Ofícios, a segunda leitura é tomada de obras dos Santos Padres ou de Escritores eclesiásticos.

 

Após a leitura, segue-se um responsório correspondente.

 

HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)

 

Nos domingos, nos dias da oitava da Páscoa, nas solenidades e festas, depois da segunda leitura e seu responsório, se diz o seguinte

hino:

 

A vós, ó Deus, louvamos,

a vós, Senhor, cantamos.

A vós, Eterno Pai,

adora toda a terra.

 

A vós cantam os anjos,

os céus e seus poderes:

Sois Santo, Santo, Santo,

Senhor, Deus do universo!

 

Proclamam céus e terra

a vossa imensa glória.

A vós celebra o coro

glorioso dos Apóstolos,

 

Vos louva dos Profetas

a nobre multidão

e o luminoso exército

dos vossos santos Mártires.

 

A vós por toda a terra

proclama a Santa Igreja,

ó Pai onipotente,

de imensa majestade,

 

e adora juntamente

o vosso Filho único,

Deus vivo e verdadeiro,

e ao vosso Santo Espírito.

 

Ó Cristo, Rei da glória,

do Pai eterno Filho,

nascestes duma Virgem,

a fim de nos salvar.

 

Sofrendo vós a morte,

da morte triunfastes,

abrindo aos que têm fé

dos céus o reino eterno.

 

Sentastes à direita

de Deus, do Pai na glória.

Nós cremos que de novo

vireis como juiz.

 

Portanto, vos pedimos:

salvai os vossos servos,

que vós, Senhor, remistes

com sangue precioso.

 

Fazei-nos ser contados,

Senhor, vos suplicamos,

em meio a vossos santos

na vossa eterna glória.

 

(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).

 

Salvai o vosso povo.

Senhor, abençoai-o.

Regei-nos e guardai-nos

até a vida eterna.

 

Senhor, em cada dia,

fiéis, vos bendizemos,

louvamos vosso nome

agora e pelos séculos.

 

Dignai-vos, neste dia,

guardar-nos do pecado.

Senhor, tende piedade

de nós, que a vós clamamos.

 

Que desça sobre nós,

Senhor, a vossa graça,

porque em vós pusemos

a nossa confiança.

 

Fazei que eu, para sempre,

não seja envergonhado:

Em vós, Senhor, confio,

sois vós minha esperança!

 

ORAÇÃO CONCLUSIVA

 

Depois do Te Deum, ou depois do segundo responsório, quando não há Te Deum, se diz a oração

Conclusiva.

 

Antes da Oração, se diz Oremos, e se acrescenta a conclusão correspondente, isto é:

 

Se a oração se dirige ao Pai:

Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Se se dirige ao Pai, com menção do Filho na parte final:

Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

 

Se se dirige ao Filho:

Vós, que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

 

E responde-se:

Amém.

 

Depois, pelo menos na celebração comunitária, acrescenta-se a aclamação:

 

Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

Se o Ofício das Leituras for integrado na celebração de uma vigília dominical ou de uma solenidade,

antes do Hino Te Deum dizem-se os cânticos correspondentes e proclama-se o Evangelho.

 

Se o Ofício das Leituras é rezado imediatamente antes de outra Hora, pode-se então, no começo do

referido Ofício, dizer o Hino correspondente a essa Hora; no fim, omitem-se a oração e a aclamação, e no

início da Hora seguinte omite-se o versículo introdutório com o Glória ao Pai.

 

Laudes

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Socorrei-me sem demora.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém. (T.P. Aleluia.).

 

Quando o Invitatório precede imediatamente, omite-se a introdução acima.

 

HINO

 

Em seguida, diz-se o hino correspondente ao Ofício do dia.

  

Pode-se escolher também outro hino aprovado pela Conferência episcopal, que corresponda ao Ofício do

dia e do Tempo (Veja Apêndice de hinos).

 

SALMODIA

 

Terminado o hino, segue-se a salmodia, que consta de um salmo matutino, de um cântico do Antigo

Testamento e de um salmo de louvor, cada qual com sua antífona correspondente.

 

Terminada a salmodia, faz-se a leitura breve ou longa.

 

LEITURA BREVE

 

Na celebração com o povo, conforme as circunstâncias, pode-se acrescentar uma breve homilia para

explicar a leitura.

 

LEITURA MAIS LONGA

 

Pode-se escolher à vontade uma leitura mais longa, principalmente na celebração com o povo, segundo a

norma do n.46 da Instrução.

 

RESPOSTA À PALAVRA DE DEUS

 

Depois da leitura ou da homilia, se oportuno, pode-se guardar algum tempo de silêncio.

 

Em seguida, apresenta-se um canto responsorial ou responsório breve, que se encontra logo depois da

leitura breve.

 

Outros cantos do mesmo gênero podem ser cantados em seu lugar, uma vez que sejam aprovados pela

Conferência Episcopal.

 

CÂNTICO EVANGÉLICO (BENEDICTUS) Lc 1,68-79

 

Depois se diz o Cântico evangélico com a antífona correspondente.

 

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, *
que a seu povo visitou e libertou;

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor,

70 como falara pela boca de seus santos, *
os profetas desde os tempos mais antigos,

71 para salvar-nos do poder dos inimigos *
e da mão de todos quantos nos odeiam.

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, *
recordando a sua santa Aliança

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, *
de conceder-nos
74 que, libertos do inimigo,

= a ele nós sirvamos sem temor †
75 em santidade e em justiça diante dele, *
enquanto perdurarem nossos dias.

=
76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, †
pois irás andando à frente do Senhor *
para aplainar e preparar os seus caminhos,

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados;

78 pelo amor do coração de nosso Deus, *
Sol nascente que nos veio visitar

79 lá do alto como luz resplandecente *
a iluminar a quantos jazem entre as trevas

= e na sombra da morte estão sentados †
e para dirigir os nossos passos, *
guiando-nos no caminho da paz.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

GLÓRIA AO PAI

 

O Glória ao Pai se diz no fim de todos os salmos e cânticos, a não ser que se indique o contrário.

 

Para o canto, pode-se escolher outro Glória ao Pai que corresponda ao ritmo e aos acentos do salmo ou do

cântico que precede:

 

Comum (e para o canto com 2 ou 4 acentos):

 

V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

R. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Para o Canto (com 3 acentos e estrofes de 2 versos):

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

(Com 3 acentos e estrofes de 3 versos):

 

= Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, †

ao Deus que é, que era e que vem, *

pelos séculos dos séculos. Amém.

 

(Com 3 acentos e estrofes de 4 versos):

 

= Demos glória a Deus Pai onipotente

e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †

e ao Espírito que habita em nosso peito, *

pelos séculos dos séculos. Amém.

 

(Com 3 + 2 acentos):

 

= Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo

desde agora e para sempre, †

ao Deus que é, que era e que vem, *

pelos séculos. Amém.

 

Repete-se a antífona.

 

________________________________

 

Em latim:

 

68 Benedíctus Dóminus Deus Israel, *

quia visitávit et fecit redemptiónem plebi suae

 

69 et eréxit cornu salútis nobis *

in domo David púeri sui,

 

70 sicut locútus est per os sanctórum, *

qui a saéculo sunt, prophetárum eius,

 

71 salútem ex inimicis nostris *

et de manu ómnium, qui odérunt nos;

 

72 ad faciéndam misericórdiam cum pátribus nostris *

et memorári testaménti sui sancti,

73 iusiurándum, quod iurávit ad Abraham patrem nostrum,*

datúrum se nobis,

 

74 ut sine timóre, de manu inimicórum liberáti, *

serviámus ili

 

75 in sanctitáte et iustítia coram ipso *

ómnibus diébus nostris.

 

76 Et tu, puer, prophéta Altíssimi vocáberis: *

praeíbis enim ante fáciem Dómini paráre vias eius.

 

77 ad dandam sciéntiam salútis plebi eius *

in remisiónem peccatórum eórum,

 

78 per víscera misericórdiae Dei nostri, *

in quibus visitábit nos oriens ex alto,

 

79 ilumináre his, qui in ténebris

et in umbra mortis sedent *

ad dirigéndos pedes nostros in viam pacis.

 

– Glória Patri, et Fílio, *

et Spirítui Sancto.

 

– Sicut erat in princípio, et nunc et semper, *

et in saécula saeculórum. Amen.

 

________________________

 

REFRÃO NOS CÂNTICOS (R.)

 

Para os cânticos do Antigo e do Novo Testamento é facultativo o refrão entre parênteses (R.). Pode ser

usado quando se canta ou se recita o Ofício em comum.

 

PRECES PARA CONSAGRAR O DIA E OTRABALHO A DEUS

 

Terminado o cântico, fazem-se as Preces.

 

Após as preces, todos rezam o Pai-nosso, que pode ser precedido de breve monição, como se propõe no

Apêndice.

 

Pai nosso que estais nos céus,

santificado seja o vosso nome;

venha a nós o vosso reino,

seja feita a vossa vontade,

assim na terra como no céu;

o pão nosso de cada dia nos dai hoje;

perdoai-nos as nossas ofensas,

assim como nós perdoamos

a quem nos tem ofendido,

e não nos deixeis cair em tentação,

mas livrai-nos do mal.

 

Em latim:

 

Pater noster, qui es in caelis:

sanctificétur nomen tuum;

advéniat regnum tuum;

fiat volúntas tua, sicut in caelo et in tera.

Panem nostrum cotidiánum da nobis hódie;

et dimíte nobis débita nostra,

sicut et nos dimítimus debitóribus nostris;

et ne nos indúcas in tentatiónem;

sed líbera nos a malo.

 

 

ORAÇÃO CONCLUSIVA

 

Depois do Pai-noso diz-se imediatamente, sem o convite Oremos, a oração conclusiva. A conclusão da oração é

descrita acima, no Ofício das Leituras.

 

Se um sacerdote ou diácono preside o Ofício, é ele quem despede o povo, dizendo:

 

O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.

Abençoe-vos Deus todo-poderoso,

Pai e Filho e Espírito Santo.

R. Amém.

 

Pode usar também outra fórmula de bênção, como na Missa. (Veja Apêndice).

Havendo despedida, acrescenta-se:

 

Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

R. Graças a Deus.

 

Não havendo sacerdote, ou diácono, e na recitação individual,conclui-se assim:

 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal

e nos conduza à vida eterna.

R. Amém.

 

Hora Média

Oração das Nove (Terça), das Doze (Sexta) e das Quinze Horas (Nona)

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Socorrei-me sem demora.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém. (T.P. Aleluia.).

 

Depois diz-se o hino correspondente.

 

Nestas Horas, não se faz menção das memórias dos Santos.

 

SALMODIA

 

Depois do hino, reza-se a salmodia com suas antífonas próprias.

 

Propõem-se duas salmodias do Saltério: uma corrente e outra complementar.

 

A salmodia corrente consta de três salmos ou partes de salmos, distribuída ao longo do Saltério.

 

A Salmodia complementar consta de salmos invariáveis, escolhidos dentre os denominados salmos

graduais.

 

Quem reza uma só Hora, toma a salmodia corrente, mesmo nas festas.

 

Quem reza mais Horas, numa delas toma a salmodia corrente e, nas outras, a complementar.

 

Nas solenidades rezam-se os salmos da salmodia complementar nas três Horas; mas no domingo, tomam-

Se os salmos do domingo da I Semana do Saltério.

 

As solenidades têm antífonas próprias.

 

LEITURA BREVE

 

Depois da salmodia, faz-se a leitura breve.

 

Depois da leitura breve, se for oportuno, pode-se guardar algum tempo de silêncio meditativo. Em

seguida, se apresenta um brevíssimo responso, ou versículo, que é indicado no mesmo lugar da leitura

breve.

 

ORAÇÃO CONCLUSIVA

 

Em seguida, diz-se a oração própria do dia, precedida do convite Oremos, e se acrescenta a conclusão

correspondente, isto é:

Se a oração se dirige ao Pai:

Por Cristo, nosso Senhor.

 

Se se dirige ao Pai, com menção do Filho na parte final:

Que vive e reina para sempre.

 

Se se dirige ao Filho:

Vós, que viveis e reinais para sempre.

 

No fim da Oração responde-se:

Amém.

 

Depois, pelo menos na celebração comunitária, acrescenta-se a aclamação:

 

Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

Vésperas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Socorrei-me sem demora.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém. (T.P. Aleluia.).

 

HINO

 

Em seguida, diz-se o hino correspondente.

 

Pode-se escolher outro hino aprovado pela Conferência episcopal, que corresponda ao Ofício do dia e do

Tempo (Veja Apêndice de hinos).

 

SALMODIA

 

Terminado o hino,segue-se a salmodia que consta de dois salmos ou partes de salmos, e de um cântico do

Novo Testamento, cada qual com sua antífona.

 

Terminada a salmodia, faz-se a leitura breve ou longa.

 

LEITURA BREVE

 

LEITURA MAIS LONGA

 

Pode-se escolher à vontade uma leitura mais longa, principalmente na celebração com o povo, segundo a

norma n. 46 da Instrução.

 

Na celebração com o povo, conforme as circunstâncias, pode-se acrescentar uma breve homilia para

explicar a leitura.

 

RESPOSTA À PALAVRA DE DEUS

 

Depois da leitura ou da homilia, se for oportuno, pode-se guardar algum tempo de silêncio.

 

Em seguida, apresenta-se um canto responsorial ou responsório breve, que se encontra logo depois da

leitura breve.

 

Outros cantos do mesmo gênero podem ser cantados em seu lugar, uma vez que sejam aprovados pela

Conferência Episcopal.

 

CÂNTICO EVANGÉLICO (MAGNÍFICAT) Lc1,46-55

 

Depois se diz o Cântico evangélico com a antífona correspondente.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor *
47 e exulta meu espírito em Deus, meu Salvador;
48 porque olhou para humildade de sua serva, *
doravante as gerações hão de chamar-me de bendita.

49 O Poderoso fez em mim maravilhas *
e Santo é o seu nome!
50 Seu amor para sempre se estende *
sobre aqueles que o temem;

51 manifestou o poder de seu braço, *
dispersou os soberbos;
52 derrubou os poderosos de seus tronos *
e elevou os humildes;

53 saciou de bens os famintos, *
despediu os ricos sem nada.
54 Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,

55 como havia prometido a nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Glória ao Pai para o canto, como no Cântico Evangélico(Benedictus) das Laudes.

 

Repete-se a antífona.

 

_____________________________

 

Em latim:

 

–46 Magníficat *

ánima mea Dóminum,

47 et exultávit spíritus meus *

in Deo salvatóre meo,

48 quia respéxit humilitátem ancílae suae. *

Ecce enim ex hoc beátam me dicent omnes generatiónes.

 

49 quia fecit mihi magna, qui potens est, *

et sanctum nomem eius,

50 et misericórdia eius in progénies et progénies *

timéntibus eum.

 

51 Fecit poténtiam in bráchio suo, *

dispérsit supérbos mente cordis sui;

52 depósuit poténtes de sede *

et exaltávit húmiles;

53 esuriéntes implévit bonis *

et dívites dimísit inánes.

 

54 Suscépit Israel púerum suum, *

recordátus misericórdiae,

55 sicut locútus est ad patres nostros, *

Abraham et sémini eius in saécula.

 

– Glória Patri et Fílio *

et Spíritui Sancto.

 

– Sicut erat in princípio, et nunc et semper, *

et in saécula saeculórum. Amen.

_____________________________________

 

PRECES OU INTERCESSÕES

 

Terminado o cântico, fazem-se as preces ou intercessões.

 

Após as preces, todos rezam o Pai-nosso, que pode ser precedido de breve monição, como se propõe no

Apêndice.

 

Pai nosso que estais nos céus,

santificado seja o vosso nome;

venha a nós o vosso reino,

seja feita a vossa vontade,

assim na terra como no céu;

o pão nosso de cada dia nos dai hoje;

perdoai-nos as nossas ofensas,

assim como nós perdoamos

a quem nos tem ofendido,

e não nos deixeis cair em tentação,

mas livrai-nos do mal.

 

Em latim:

 

Pater noster, qui es in caelis:

sanctificétur nomen tuum;

advéniat regnum tuum;

fiat volúntas tua, sicut in caelo et in tera.

Panem nostrum cotidiánum da nobis hódie;

et dimíte nobis débita nostra,

sicut et nos dimítimus debitóribus nostris;

et ne nos indúcas in tentatiónem;

sed líbera nos a malo.

 

 

ORAÇÃO CONCLUSIVA

 

Depois do Pai-nosso diz-se imediatamente, sem o convite Oremos, a oração conclusiva. A

conclusão da oração é descrita acima, no Ofício das Leituras.

 

Se um sacerdote ou diácono preside o Ofício, é ele quem despede o povo, dizendo:

 

O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.

Abençoe-vos Deus todo-poderoso,

Pai e Filho e Espírito Santo.

R. Amém.

 

Pode usar também outra fórmula de bênção, como na Missa (Veja Apêndice).

Havendo despedida, acrescenta-se:

 

Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

R. Graças a Deus.

 

Não havendo sacerdote, ou diácono, e na recitação individual, conclui-se assim:

 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal

e nos conduza à vida eterna.

R. Amém.

 

Completas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.

R. Socorrei-me sem demora.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém. (T.P. Aleluia.).

 

Depois, recomenda-se o exame de consciência, que na celebração comunitária pode ser inserido num Ato

Penitencial semelhante às fórmulas usadas na Missa (cf. Apêndice).

 

Hino

 

Agora que o clarão da luz se apaga,

a vós nós imploramos, Criador:

com vossa paternal misericórdia,

guardai-nos sob a luz do vosso amor.

 

Os nossos corações sonhem convosco:

no sono, possam eles vos sentir.

Cantemos novamente a vossa glória

ao brilho da manhã que vai surgir.

 

Saúde concedei-nos nesta vida,

as nossas energias renovai;

da noite a pavorosa escuridão

com vossa claridade iluminai.

 

Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces,

ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor,

que reina para sempre em vossa glória,

convosco e o Espírito de Amor.

 

Ou:

 

Ó Cristo, dia e esplendor,

na treva o oculto aclarais.

Sois luz de luz, nós o cremos,

luz aos fiéis anunciais.

 

Guardai-nos, Deus, nesta noite,

velai do céu nosso sono;

em vós na paz descansemos

em um tranqüilo abandono.

 

Se os olhos pesam de sono,

vele, fiel, nossa mente.

A vossa destra proteja

quem vos amou fielmente.

 

Defensor nosso, atendei-nos

freai os planos malvados.

No bem guiai vossos servos,

com vosso sangue comprados.

 

Ó Cristo, Rei piedoso,

a vós e ao Pai toda a glória,

com o Espírito Santo,

eterna honra e vitória.

 

SALMODIA

 

Depois das I Vésperas dos domingos e solenidades, dizem-se os salmos 4 e 133(134); e

depois das II Vésperas, o salmo 90(91).

 

É permitido substituir o

Completório do dia por um ou outro do domingo.

 

LEITURA BREVE

 

Depois da salmodia, faz-se a leitura breve.

 

Segue-se o responsório breve.

 

RESPONSÓRIO BREVE

 

R. Senhor, em vossas mãos,

* Eu entrego o meu espírito. R. Senhor.

V. Vós sois o Deus fiel que salvastes vosso povo.

* Eu entrego. Glória ao Pai. R. Senhor.

 

CÂNTICO EVANGÉLICO (NUNC DIMÍTTIS) Lc2,29-32

 

Segue-se o Cântico de Simeão com sua antífona:

 

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,

guardai-nos também quando dormimos!

Nossa mente vigie com o Cristo,

nosso corpo repouse em sua paz!

 

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

 

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *

conforme prometestes, ó Senhor.

 

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *

31 que preparastes ante a face das nações:

 

32 uma Luz que brilhará para os gentios *

e para a glória de Israel, o vosso povo.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Repete-se a antífona.

 

_________________________________

 

Em latim:

 

29 Nunc dimítis servum tuum, Dómine, *

secúndum verbum tuum in pace,

30 quia vidérunt óculi mei *

salutáre tuum,

31 quod parásti *

ante fáciem ómnium populórum,

32 lumen ad revelatiónem géntium *

et glóriam plebis tuae Israel.

– Glória Patri et Fílio *

et Spirítui Sancto.

– Sicut erat in princípio, et nunc et semper, *

et in saécula saeculórum. Amen.

 

 

ORAÇÃO CONCLUSIVA

 

Em seguida, se diz a oração própria para cada dia, precedida do convite Oremos. No

Fim responde-se:Amém.

 

Segue-se a bênção, inclusive quando se reza sozinho:

 

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranqüila

e, no fim da vida, uma morte santa.

R. Amém.

 

Antífonas finais de Nossa Senhora

 

Por fim, canta-se ou reza-se uma das seguintes antífonas de Nossa Senhora:

 

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,

ao povo que caiu, socorre e exorta,

pois busca levantar-se, Virgem pura,

nascendo o Criador da criatura:

tem piedade de nós e ouve, suave,

o anjo te saudando com seu Ave!

 

Ou:

 

Ave, Rainha do céu;

ave, dos anjos Senhora;

ave, raiz, ave, porta;

da luz do mundo és aurora.

Exulta, ó Virgem tão bela,

as outras seguem-te após;

nós te saudamos: adeus!

E pede a Cristo por nós!

Virgem Mãe, ó Maria!

 

Ou:

 

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,

vida doçura, esperança nossa, Salve!

A vós bradamos os degredados filhos de Eva,

a vós suspiramos gemendo e chorando

neste vale de lágrimas!

Eia, pois, Advogada nossa,

esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,

e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,

bendito fruto do vosso ventre!

Ó clemente, ó piedosa,

ó doce sempre Virgem Maria.

 

Ou:

 

À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;

não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,

mas livrai-nos sempre de todos os perigos,

ó Virgem gloriosa e bendita.

 

Pode-se usar outro canto de Nossa Senhora aprovado pela Conferência Episcopal, ou uma das antífonas de Nossa Senhora em latim (Apêndice).